Archive for abril \30\UTC 2008|Monthly archive page

Há 10 Anos Atrás – Abril

Udinese da Itália

A camisa da Udinese foi a escolhida para ilustrar o Há 10 Anos Atrás de Abril. A camisa naquela temporada foi usada como terceiro uniforme e a cor usada é o incomum, para o clube, azul. Na época o clube era patrocinado pela marca dinamarquesa Hummel que tinha bem mais espaço do que nos tempos atuais, o modelo era bem simples como era tradicional na época, os detalhes eram mais focados em golas e apetrechos na parte superior da camisa principalmente nos ombros. No caso dessa camisa nem isso, a gola era bem simples e lembra muito a gola das camisas do começo dos anos 90, com um botão apenas e um colarinho baixo da segunda cor da camisa acompanhado de um detalhe. O tronco da camisa vem com outra característica que aparece no começo dos anos 90, a marca d’água. Como foi muito usado e não podia ser diferente o que aparece na marca é o distintivo do clube, praticamente qualquer símbolo fica muito interessante dessa forma, e não foi diferente com o clube italiano, ficou muito bonito, principalmente porque o distintivo é cheio de elementos e grande deu uma composição muito boa para a camisa, só acho que foram usados muitos, somente o do tronco deslocado era suficiente, uma pequena observação que eu não sei responder e achei curioso, alguns provavelmente vão até achar que prejudica o conjunto, e eu não discordo totalmente dessa opinião. Porque a marca d’água do símbolo que é a que mais aparece está de ponta cabeça? Muito estranho. Mas continuando, na manga é possível ver as famosas “setinhas”, símbolo maior da Hummel, muito mais bonita que as 3 listras da Adidas talvez por ser menos usada ou talvez por simplesmente ser mais bonita mesmo. Deu todo um estilo para a camisa que tem isso praticamente como único detalhe, interessante é o fato de ter sido usado apenas duas setas quando geralmente a Hummel aproveita toda a linha e vai da gola até as mangas usando um número bem maior. De qualquer modo ficou muito bonito, junto com a marca d’água formam um bom conjunto, só faltou um pouco de branco na parte inferior da camisa. Mas a camisa não tem apenas elementos do começo dos anos 90, o patrocínio mais bem desenhado, com curvas saindo um pouco mais da camisa era bem atual na época, entretanto ele era horroroso, conseguiu cobrir e conseqüentemente destruir um dos principais elementos, além disso o amarelo excessivo e o desenho acabam por atrapalhar a camisa, o primeiro se usado moderadamente poderia até se harmonizar com o resto da camisa, já o segundo é mais difícil, teria que diminuir radicalmente seu tamanho, atrapalhando assim o nome da empresa. Uma solução que muito me agrada para esse artifício bizarro seria o simples uso do nome da empresa em azul com uma borda branca, cobriria a marca d’água verdade, mas nesse caso isso já é inevitável. Outra coisa ruim que também foi muito usada no final dos anos 90 é essa união de elementos na parte superior da camisa, patrocínio bem para cima e brasão do clube e símbolo da fornecedora esportiva apertados e muitas vezes deslocados para os lados tirando a tradicional e muito bela simetria entre esses elementos no peito da camisa. Enfim, é uma camisa muito bonita, mas que ficou um pouco atrasada no tempo, e isso fica evidenciado quando comparamos ela com as camisas da época e de mais alguns anos atrás. Talvez esse seja o motivo da Hummel ter perdido espaço no mundo das camisas.

…Racing da Argentina

Vou falar novamente de um Racing,mas dessa vez é o tradicional clube argentino que trava uma eterna rivalidade com o Independiente também em Buenos Aires. O tradicional uniforme de casa deles é em forma de listras alternando branco e azul celeste, sempre sai coisas bonitas, já a camisa de visitante geralmente mistura o azul celeste com um azul bem escuro, as vezes eles até usam preto como nessa camisa que eu mostrei no final de fevereiro.

A camisa que eu vou mostrar é a de visitante da temporada 2006, o Racing assim como Corinthians e Boca lança suas camisas de ano em ano, o que é muito curioso pois nosso calendário é assim, mas não o argentino. Apesar de ser feita pela Nike o modelo adotado na camisa não foi usado na Europa, o único outro clube que usou o mesmo modelo foi justamente o Boca Juniors, deve ser coisa da Nike Argentina, criar modelos exclusivos para seus clubes. O modelo permitia um pouco mais de detalhe do que os modelos que a Nike está acostumada a criar, era composto de 4 partes, a parte central do tronco, a parte lateral, a parte de cima da manga e a parte de baixo, assim os clubes tinham mais alternativas de criar em cima de seus uniformes. O Racing fez um desenho que no final das contas nem precisou muito da ajuda do modelo, era lindo por si só. Um quadriculado bem grande que ao contrário da Croácia não se opõem muito nas cores. Mas o que torna esse quadriculado mais agradável aos olhos do que o da Croácia não está exatamente nesse ponto, na verdade são outros dois pontos que eu acho que são os responsáveis pela camisa da Croácia não fazer tanto sucesso quanto deveria. O primeiro deles é no tamanho dos quadrados, os da seleção são pequenos e em grande quantidade, no final das contas cada quadrado acaba adentrando o outro pois não tem espaço para passar somente a sua informação, então o branco invade vermelho e vice-versa criando no final das contas uma poluição por excesso de elementos, os quadrados maiores como os do Racing deixam cada quadrado com mais espaço, criando assim um contraste mais harmônico, fator essencial para camisas desse tipo. O segundo erro da camisa da Croácia é a falta de limites, os modelos da Nike sempre muito parecidos nos últimos anos, não criam limites técnicos para as camisas, ou seja não há essa divisão de partes como há nessa camisa ou em camisas da Adidas, Umbro e outras concorrentes, e esse eterno quadriculado apenas agrava o problema da poluição, como vocês, novamente, podem ver na camisa do Racing o limite nas laterais não faz com que fiquem poucos quadrados e muito menos desvaloriza o desenho, enfim esse quadriculado para o Racing ficou limpo e lindo, deu exclusividade para a camisa, inclusive dentro do clube que nunca tinha feito algo igual. Por ironia o que acabou ficando desnecessário foi o uso do azul celeste na parte debaixo da manga, a camisa totalmente em um tom mais escuro proporcionaria mais destaque para o quadriculado central, mas da mesma forma o desenho diferenciado é interessante. O patrocínio da Petrobrás é bem simples e muito bonito, principalmente por ser apenas o nome da empresa, sem logo ou foco em produtos específicos, ele não ficar exatamente no meio dos quadrados foi uma ótima opção, deixou ele um pouco com cara de fora do desenho, o que nesse caso ficou bom, pois o desenho continua completo e não se quebra. O posicionamento do símbolo do Racing ficou ótimo, só não entendi o porque que eles colocaram 1903-2006 já que não me parece ser nenhum ano especial. O Nike em cima ficou também muito bem encaixado, consegue fugir das atenções, apenas a cor rosa que ficou estranha, tem um contraste legal, mas o uso de uma terceira cor não básica pode comprometer as camisas, como foi usado muito pouco ela sobreviveu, mas eu sou a favor do branco. A gola, que é melhor visualizada nessa foto, é muito estranha, para não dizer feia, alta e mal desenhada não combina em nada com a camisa, não sei nem definir com o que ela parece, ainda bem que o conjunto da obra salva.

Os CamisaPops

A globo.com desafiou os fanáticos por futebol de diversas formas, hinos, rostos, gols e campeonatos, etc. Mas dessa vez ela desafiou nós Compulsivos e criou o CamisaPops 1 e 2. Eles não eliminaram símbolos nem patrocínios, portanto está um pouco fácil, principalmente o 1 da série que sempre conta com 24 camisas diferentes.

Segue os links e mais para baixo as respostas do CamisaPops 1 e 2.

CamisaPops 1 Camisa Pops 2

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Respostas (a falta de acentos é proposital):

CamisaPops 1:

1 – Brasil     2 – EUA     3 – Sevilla     4 – França

5 – Argentina     6 – Croacia     7 – Boca Juniors     8 – Manchester

9 – Juventus     10 – Corinthians     11- Flamengo     12 – Sporting

13 – Real     14 – Olympique     15 – Milan     16 – Barcelona

17 – Alemanha     18 – Fluminense     19 – Portugal     20 – Holanda

21- Deportivo     22 – Dinamarca     23 – Pumas     24 – URSS

CamisaPops 2:

1- Bahia     2 – Serra     3 – Westham     4 – Vila Nova

5 – Universidad     6 – Sydney     7 – Stutgart     8 – The Strongest

9 – Sampaio     10 – Sociedad     11 – Portuguesa     12 – Panathinaikos

13 – Kashima     14 – Juventus     15 – Ipatinga     16 – Goias

17 – Fenerbahce     18 – Criciuma     19 – Cosmos     20 – Cerro Porteno

21 – Palestra      22 – Brasil     23 – Bordeaux     24 – Bonsucesso

Chegadas ao Plantel

Na segunda parte das chegadas de março a principal marca foi bem diferente da primeira, foi marcada por bons negócios, camisas lindas e muito baratas, uma delas uma grata surpresa que eu jamais vou esquecer. Estou falando da camisa do Celtic de casa que eu falei durante o Celtic Hat-Trick e a camisa de visitante de 2006 do Racing Club da Agentina.

A do Celtic veio do site da Kitbag e na verdade a primeira intenção dela era apenas completar pedido, comprei com ela junto com a terceira camisa do Chelsea da temporada passada, mas essa última não tinha em estoque e o mesmo só foi descoberto por eles depois da minha compra, coisas que acontecem, muito difícil de se evitar. Obviamente que eu não estava mais tão feliz, a camisa que era o motivo da compra não vinha mais, mas da mesma formanão foi o suficiente para me deixar triste, a camisa do Celtic com o frete tinha saido por volta de R$50, e eu até hoje me lembro da primeira vez que vi ela na Centauro e falei que ia levar, até ver o preço, lógico. Quando o pacote da Kitbag chegou eu confesso que ainda tinha esperanças de que a camisa do Chelsea tivesse junto, abri confirmei a ausência mais confirmei também que a camisa do Celtic era linda, e ainda tinha um gostinho especial, ela era a minha 50ª camisa, e apesar de não ser a mais merecedora ela ainda assim era merecedora de tal título. No corpo ela é fantástica, o problema que eu tinha citado na manga quase desaparece e a beleza dela é surpreendente, tava vendo agora alguns pontos que eu tinha criticado quando havia falado dela no Celtic Hat-Trick e dei de cara com eles resolvidos, o Carling estava perfeitamente dividido sem prevalecer para o verde mais alto e na barra da camisa em baixo há um resquício de listra verde tanto na frente como atrás. O tamanho P ficou perfeito e sem dúvidas vou usar ela mais no dia-a-dia do que para jogar bola, e ainda não acredito no preço que paguei, um ótimo negócio.

Já a segunda camisa foi uma das melhores surpresas que eu já tive, adquiri ela pela Soccer10Shop, mas também não foi muito simples, tinha escolhido uma camisa preta de manga longa do River Plate da temporada 0506, o preço dessa era de US$45, recebi um e-mail falando que também não tinha em estoque, eles me deram o dinheiro para escolher outra camisa, passei dias sem saber até que decidi pegar a do Racing pelo preço, US$29, meu pai falou para eu colocar número para gastar um pouco mais e não ficar esperando o reembolso, fiz como ele mandou, botei o número 11, me saiu mais US$7. Estava um pouco desanimado pois na foto do site a camisa era muito estranha, mas essa era a melhor saída, então fechei assim mesmo. O pacote chegou e eu nem percebi, só no dia seguinte que minha mãe notou a presença e me entregou, abri e quando me deparei com a camisa a emoção foi imediata, a camisa é absurdamente linda, assim como o número nas costas, tem um formato simples e é aveludado, o 11 mais bonito da minha coleção, vesti a camisa e o caimento ficou perfeito, perfeito mesmo, e a gola que era o que eu tinha medo que ficasse folgada e feia ficou boa, não que ela seja bonita, mas não estraga a camisa como achei, a única coisa que não me agrada é o tecido Dri-Fit, mas pelo preço que paguei está até valendo. Acho essa camisa acabou sendo mais negócio até que a do Celtic, a numeração e o fato de não existir exemplares para vender no Brasil compensam os R$10 que ela foi mais cara, isso sem contar a beleza e o estilo que ela tem que são muito exclusivos. Amanhã eu publico um post sobre ela com foto.

…Racing Santander da Espanha

Após o post do dia 10 também sobre o Racing Santander me senti na obrigação de mostrar um belo exemplar deles, afinal eu destruí a imagem do clube falando mal de todas as camisas dessa temporada. Por isso que eu hoje vou repetir a dose e vou falar novamente do Racing Santander, para também não deixar a impressão de que a Joma é a culpada decidi apresentar algo que a marca fez, com esses critérios cheguei na terceira camisa do clube do ano passado, esse sim muito bonito.

Assim como a outra ela é uma camisa que poderia ser perfeitamente usada como camisa de casa, usa componentes verdes e brancos. O modelo usado nessa camisa também era praticamente exclusivo, que eu tenha conhecimento só o Venezia usou algo similar. A camisa é marcada e definida pela palavra classe, ela aparece em todos os aspectos, inclusive no nome do time, Real Racing Club de Santander. A camisa mistura um verde lindo com branco em faixas verticais, largas e bonitas, valorizam muito a proposta da camisa por oferecerem um desenho muito limpo, simples e bem composto. A grossura da faixa é a responsável por isso, pois por ser bem larga há poucas, e por serem poucas todos elementos ganham mais espaço para dar a sua característica. Outra coisa do modelo que ajuda na questão da classe é a ausência de tantos detalhes como na última camisa, na verdade essa camisa da Joma segue um estilo Nike de ser, divide o tronco das mangas praticamente como uma camisa normal, nota-se apenas uma faixa corrente que vai da manga até a gola, mas esses modelos encaixam muito bem com desenhos tão auto-suficientes e quase sempre proporcionam belíssimas peças. O desenho da manga está muito bem combinado com o do tronco, é verdade que camisas listradas na vertical são mais fáceis de se combinar, mas essa está na proporção certa pois faz o parecer que o verde que não começou direito no tronco comece de verdade na manga, assim as listras continuam não somente visualmente por serem verticais mas também seqüencialmente. As barras das mangas grossas são muito bonitas, interagem com a gola e interagiriam com uma barra na camisa se tivesse, mas de qualquer forma ela da um molde para a camisa, limites que aprisionam o verde e fazem eles se destacarem dentro do espaço em que estão, as barras grossas ainda se tornam um diferencial pois não é muito comum em camisas desse tipo, para completar o branco ganha ainda mais espaço fortalecendo as listras. A gola com esse desenho todo alongado relembra os anos 50 e 60, para completar também temos o cordão, ambos juntos com todo o desenho da camisa ficaram maravilhosos, de toda a camisa são os elementos que proporcionam mais classe, principalmente o cordão que ao contrário da gola não é muito usado, a camisa ganhou um toque muito especial e que valoriza muito a camisa como um todo. O único defeito na camisa fica por conta do posicionamento dos elementos centrais, ambos combinam muito coma camisa, e o preto usado no Joma ficou excelente assim como a caixa que da até a impressão de costurada, mas por outro lado eles não se encaixam nas listras, ficam fora do conjunto atrapalhando, como não é possível colocar inteiramente em uma ou na outra faixa a melhor solução vira o meio, ficaria ótimo, relaciona o símbolo do clube com as cores e o Joma não perderia sua caixa. Queria dar um destaque para o “J” na manga, é muito bonito, combinou muito com a camisa, e virou contraponto do patch da liga espanhola, parabéns para a Joma. A camisa é sem dúvidas linda, e além de modelo e cores também devemos ressaltar a falta de um patrocínio. É possível fazer desenhos lindos e completos sem eles, fica assim uma lição para as seleções e para os patrocínios que devem aprender a se adaptar para que a camisa fique mais bonita, é bom para o clube e é bom para eles. Acho que eu consegui melhorar um pouco a imagem do Racing, e só para completar, é um Objeto de Desejo.