Archive for the ‘Especial do Mês’ Category

Especial Entrevista

O Especial do Mês desse mês vai tratar de um assunto especial, pelo menos para mim.

Faz um tempo, mas eu fui convidado ao lado do Anderson (O Vestiário) para participar de um programa da Fashion TV, um famoso canal que trata apenas de moda e que depois de fazer sucesso no exterior chegou no Brasil através da SKY em Agosto do ano passado. A entrevista, feita aqui em São Paulo, foi para o programa Estilo Brasil, novo no canal e que vai estrear dia 23 de Julho. Além de nós colecionadores tivemos também a apresentadora do programa Ellen Jabour e a estilista Thais Losso. Atualmente com marca própria ela já passou por Sommer, de onde pediu para sair. Mas antes seu “passe” ou no caso “traço” esteve vinculado a Zapping aonde fez uma coleção com o tema Itália que envolvia entre outros elementos as camisas de futebol, isso em 2005.

Inicialmente a idéia era gravar no Pacaembu, mas por um problema tivemos que mudar nossos rumos, gravamos então no Parque Antártica. Chegamos no local e entramos em campo, literalmente. A equipe do programa deu uma pequena orientação de como entraríamos e o resto, por incrível que possa parecer, foi muito natural. Ficamos em campo e as primeiras coisas que mostramos após uma pequena introdução da simpática Ellen com a simpática Thais foram nossas pequenas evoluções. O Anderson mostrou a Alemanha de 1996 a 2008, um conjunto de 6 camisas belíssimas. Eu mostrei metade da minha coleção dos campeões mundiais, metade pois na seleção que fiz para levar deixei de fora as camisas de visitante. Nesse primeiro momento nada animou muito a Thais ou a Ellen com a exceção de uma gola (a da Alemanha de 2004), que eu particularmente acho de muito mau gosto, e o desenho criado por Neil Barrett para a camisa Home da Itália.

Após isso mostramos algumas peças de nossas coleções, meio perdido ainda mostrei a camisa da Costa do Marfim Home de 2006 relacionando ela com a camisa de 94 do Brasil que já estava exposta mostrando a retomada de idéias que o mundo das camisas está começando a viver. Mostrei também minha camisa do Pumas, que não agradou pelo tom pele que possui, fiquei um pouco triste, afinal a coitada da camisa que eu vejo como uma relíquia, não das mais belas verdade, havia sido esculachada, isso que eu também tinha levado a sensacional camisa do Chivas e acabei nem mostrando. Seguimos conversa e por meio das camisas comemorativas do centenário da Fifa que o Anderson tinha caímos no passado, e conseqüentemente na evolução de design e tecidos, ambos constatamos que a evolução de tecidos dos anos 80 para os 90 principalmente havia sido algo incontestável e arrasador, foi então que mostrei minha réplica do Hearts que eu trouxe da Escócia e comparei com a atual, o que mais chamou a atenção das meninas foi a diferença de tonalidade.

Demos uma rápida passagem então pela mudança e evolução dos escudos e fomos sem escala para qual a Liga que fazia mais moda, momentos antes a Ellen tinha pedido para ver as camisas de manga longa e eu fui buscar as minhas e acabei perdendo a chance de falar algo no qual tenho uma opinião muito própria. O Anderson falou que a liga italiana junto com a inglesa e a espanhola eram as mais desenvolivdas nesses aspectos, mas eu sinceramente gostaria de citar a Bundesliga com coleções tão únicas, a J.League e quem sabe fazer um comentário sobre a FMF e falar que no final que fazia moda mesmo não eram as ligas e sim as marcas, afinal os modelos que são as características de estilo e moda são feito pelas mesmas, verdade que as ligas que o Anderson citou são as mais conhecidas e quem sabe a que os clubes tem mais autonomia para criar, mas não citar que a Umbro foi a precursora do design esportivo quando começou a patrocinar clubes do Reino Unido na década de 70 é um pecado.

Perguntaram também sobre qual o jogador que achávamos mais modernos na questão de design, Anderson citou o goleiro Buffon e seu xale (?), eu meio perdido fiz a burrada de citar um dos jogadores que menos me agradam, o Ronaldo, Cristiano Ronaldo, falando de seu estilo de jogo todo peculiar, mas após alguns segundos procurando urgentemente alguém melhor lembrei do meu ídolo Davids e seus óculos laranja e dreads inconfundíveis, fiquei orgulhoso, existe melhor exemplo de estilo do que Davids? Entramos então nas mangas longas, dei uma rápida passagem por algumas camisas, citando o inconfundível e clássico desenho do Ajax, que foi deixado de lado quando surgiu minha camisa de goleiro do Liverpool. Sucesso, o estilo totalmente diferente misturando cores e desenhos fez as meninas se apaixonarem, a Ellen até arriscou vestir a camisa para ver como caia nela.

Depois dar uma espécie de encerrada com a Thais falamos um pouco da história curiosas de algumas camisas, o Anderson falou do Universitário que tinha mudado de branco para bege após uma lavagem não muito bem sucedida e eu citei a história do uniforme rosa da Juventus que pelas mãos de um inglês virou branco e preto. Foi então que fomos intimados a escolher uma última camisa para falar, aquela que considerávamos especial, não tive dúvida alguma, peguei a minha camisa do Al-Ain. A reação de todos não poderia ser diferente, e foi a mesma que eu tive (e ainda tenho) quando a vi pela primeira vez. É meio inexplicável, mas é uma mistura de espanto e admiração. Todos admiraram e fizeram comentários sobre a peça, inclusive eu, meio abobado. A Thais ameaçou roubar e a Ellen  falou que eu devia fazer sucesso com ela na balada, falei que não usava ela de jeito nenhum e nesse exato momento passei uma idéia de colecionador que na verdade não é exatamente a minha verdadeira, ou é, mas somente nesse caso. Fechamos a matéria e fizemos umas poses de como estivéssemos conversando, não que não estivéssemos, pediram novamente para eu segurar a camisa do meu querido Al-Ain e eu fiz todo orgulhoso da minha bela peça.

Algumas observações: Não está na ordem corretíssima, e sim mais ou menos do que eu lembro, também discutimos se era camisa ou camiseta, e a Ellen argumentou falando que camisa é a de botão, e de certa forma ela está correta, minha tese é que camisa é bem mais simples de se falar, mas que está errado a isso está. Também teve os exemplares que eu acabei não citando que eu gostaria de ter citado, como as listras em tons parecidos com o exemplo de Bayer Leverkusen e Reading, as camisas meio a meio do Atlético de Madrid, a quadriculada que também serve de exemplo de tons parecidos, do Racing, e o desenho espetacular da camisa do Chivas. Também fomos perguntados se venderíamos nossas coleções, falamos, claro, que cada peça tem seu valor sentimental e tudo, mas eu confessei que por uma boa oferta venderia, o Anderson foi resistente, mas quando a Ellen ofereceu um milhão ele acabou cedendo. 

Só para constar eu fui com a camisa Away do Celtic de manga longa da temporada passada (0708) e o Anderson com a camisa de Rugby da Inglaterra. Também acabei nem citando minha querida cria (o Compulsivos) não sei se por timidez ou porque simplesmente não se encaixava no contexto. O programa vai passar na SKY no final do mês, não sei ao certo a data, mas se o programa for semanal deve ser ou no dia 23 ou no dia 30, acho que mais provável dia 30.

Enfim, essa foi minha experiência, muito boa por sinal, que ocorreu na última terça-feira de Junho, dia 24. Espero que venham muitas outras iguais a essa, e que da próxima vez eu saiba com a experiência que ganhei aproveitar melhor o espaço.

Especial do Mês – Junho

O Especial do Mês vai aproveitar a Euro e fazer um especial relacionado com o mais importante campeonato continental de seleções. Mas ao contrário do que vocês estão acostumados não vou mostrar todas as camisas das seleções de todos os concorrentes e sim a camisa de casa do campeão da última temporda de cada concorrente.

Grupo A

Suiça (Basel)                               República Tcheca (Slavia Praha)

Portugal (Porto)                               Turquia (Galatasaray)

Grupo B

Áustria (Rapid Wien)                               Croácia (Dinamo Zagreb)

Alemanha (Bayern München)                               Polônia (Wisla Krákow)

Grupo C

Romênia (CFR Cluj)                               França (Lyon)

Holanda (PSV)                               Itália (Internazionale)

Grupo D

Espanha (Real Madrid)                               Rússia (Zenit)

Grécia (Panathinaikos)                               Suécia (Göteborg)

Especial do Mês – Maio

Esse mês vou falar do mais importante item que uma camisa tem, é o principal responsável pela personalidade da camisa, sem dúvidas é também o que mais afeta na beleza da camisa e é quem muitas vezes define se ela vai ser bonita ou não, quando bem encaixado pode ajudar a camisa a se tornar épica, quando mal as conseqüências são graves. É também, depois do distintivo, a maior relação existente entre camisa e clube, mas por outro lado é mais fácil um time mudar o distintivo do que ele. Não sei se deu para perceber mas eu estou falando das combinações de cores, elemento mais que marcante, afinal quando você pensa em tal clube ou tal cor a associação é imediata e inevitável. Mas vim apresentar para vocês cinco das combinações que são mais belas e marcantes, não encarem isso como uma eleição pois apenas peguei aquelas que eu particularmente gosto muito.

Combinação: Preto e Verde

Quem tornou conhecida: A combinação entre verde e preto é bastante incomum e na verdade esse é um quesito básico para uma combinação se tornar inesquecível. Quando falamos de preto e verde o primeiro clube que me vem a cabeça é o Hannover 96 um clube alemão que apesar da camisa de casa ser vermelha tem as cores no símbolo e na camisa de visitante. Do meu ponto de vista o precursor da combinação.

Características: A grande característica do preto com o verde é a contraposição, o verde que quase sempre aparece como cor escura quando acompanhado do preto se torna mais claro e mais vivo, mas sempre com o preto para combinar e não deixar tudo ficar muito reluzente, além disso o brilho que o verde tem com o preto não existe em nenhuma outra combinação, sem dúvidas dos verdes não escuros é a melhor combinação.

Tendência: Não existe uma grande tendência do uso dessa combinação, fora o Hannover somente o Sporting arriscou uma camisa com essas cores, mas sempre que é usada a combinação o preto entra como predominante e o verde em pequenos detalhes assim tornando as camisas  escuras.

Fotos: Hannover 96 0506 away, Hannover 96 0708 away e Sporting 0708 away

                   

Combinação: Grená e Amarelo

Quem tornou conhecida: O clube que tornou essa combinação inesquecível foi o Galatasaray da Turquia, é símbolo do clube e a associação entre ele e a combinação acontece no mundo inteiro, lembrada também pelo clássico desenho meio a meio das duas cores que nunca mudou na história do clube.

Características: A principal característica dessa combinação é a harmonia de duas cores incomuns e de muita elegância, o amarelo parte para o mostarda e o vermelho para o vinho, assim a camisa não fica com uma aparência muito forte e espalhafatosa e sim mais elegante e calma. Além disso a divisão igualitária das cores ajuda no contexto já que nenhuma das duas tem tanta força para ser predominante.

Tendência: Também é uma combinação pouco explorada, com exceção do Galatasary que dá um jeito de aplica-la em todos os seus 4 uniformes eu conheço apenas a camisa de goleiro do Newcastle. O balanceamento perfeito das cores é sem dúvida algo que não falta nas camisas, ou seja é a principal tendência e o elemento mais importante.

Fotos: Galatasaray 0708 home, Galatasaray 0708 away e Newcastle 0708 GK

                   

Combinação: Rosa e Preto

Quem tornou conhecida: Sem dúvida alguma o uniforme pioneiro nessa combinação é o do Palermo da Itália, uniforme também muito tradicional e muito elogiado, a predominância sempre vai para o rosa que tem um tom discreto acompanhado de um discreto preto somente para não deixar a camisa tão clara e próxima do branco.

Características: A combinação é muito forte de personalidade, principalmente quando tratamos de rosa cor tão polêmica. O grande toque da combinação está no tom claro do rosa que permite que o preto não fique fora de foco como aconteceria se fosse usado um rosa-choque. Com isso também foram valorizados a simplicidade e o estilo clean, tudo muito suave mas sem deixar a camisa sumir.

Tendência: Sem dúvida alguma é uma das combinações mais em alta no mundo esportivo, espalhou para clubes da Espanha e da França que fizeram suas adaptações, muitos não gostam mas é verdade que o nível de aprovação foi muito superior ao de rejeição, foram criadas camisas tanto majoritariamente rosa como o oposto e até o meio termo.

Fotos: Palermo 0607 home, Sochaux 0708 away e Espanyol 0708 away

                   

Combinação: Laranja e Verde

Quem tornou conhecida: A combinação não abriga oficialmente nenhum clube, o mais próximo que temos é o Venezia na Itália, mas a mistura com o preto é muito forte, portanto como pioneiro nessa história de laranja com verde temos o Werder Bremen da Alemanha, alguns de seus seguidores são o Banfield na Argentina e a seleção da Costa do Marfim na África.

Características: A característica marcante dessa combinação é a própria combinação, uma cor muito cheia de vida e outra que facilmente muda o seu caráter. Marca por não se misturarem mas mesmo assim combinarem perfeitamente desde que aplicadas com o tom certo, diferente das outras é uma combinação que está mais ligada a um estilo moderno e muito mais vivo.

Tendência: Com a exceção do Werder a principal tendência é fazer com que o laranja predomine, o clube alemão sempre procura deixar um bom equilíbrio quando as camisas são feitas nessas cores mas assume que a principal é e sempre será o verde. Acho que justamente por essa cara moderna é uma combinação que tem futuro mas ainda não tem muitos adeptos.

Fotos: Werder 0607 away, Banfield 0506 away e Costa do Marfim 0809 home

                   

Combinação: Preto e Cinza

Quem tornou conhecida: Muito difícil pois é uma combinação em ebulição e não tradicional, se formos analisarmos quem teve antes ai chegaremos a resposta do New Zelands Knights, entretanto se formos analisarmos quem realmente deixou conhecida ficamos entre a Nike com seus uniformes de goleiro e o modesto clube inglês do Reading.

Características: A principal característica da combinação é a forma como interagem as cores, o cinza ganha vida uma coisa que raramente conseguia e o preto consegue deixar de ser apenas um quadro onde as outras cores de encostam, algo ainda mais raro. E é esse despertar de dois pontos únicos e a união tão bem feita de duas cores tão parecidas que deixa essa combinação na memória.

Tendência: Apesar do clube criador não usar esse estilo todos os outros que vieram depois, a Nike com os goleiros, a Puma com o Reading e a Topper com o Estudiantes, tiveram a mesma idéia ao mesmo tempo, fazer listras, e realmente deu muito certo, todas as camisas são lindas e a tendência da combinação obviamente é essa, intercalar as cores e fazer listras, valorizando ambas.

Fotos: New Zeland Knights 0506 home, Reading 0708 away, Corinthians 2007 GK

                   

Especial do Mês – Abril

Marcas Ficticias

O mundo das camisas não é só marcado pelos belos modelos e demonstrações de Fair Play, aliás Fair Play no mundo das camisas é o que menos existe, é um dos lugares mais selvagens que existe onde a globalização e contratos bilionários acontecem, onde pequenos, médios e até grandes são engolidos sem dó algum por outras empresas que compõe a mega-fauna dessa selva. Dentre esses monstros os maiores e mais fortes são Adidas e Nike, vira e meche eles se mordem e disputam presas menores como marcas esportivas e o meu ou o seu time. A última dentada foi dada pela Nike que engoliu a pobre França com um contrato cuja os números assustam mais que o próprio fato. A última da Adidas não foi bem uma dentada, mas sim uma resistida, conseguiu sem mudar nada no atual contrato manter a Alemanha na linha.

Na verdade vim falar das novas grandes marcas. É, caso você não saiba a gama de opções dos grandes times dobrou e essas novas empresas estão arrancando verdadeiros pedaços das grandes e gigantescas empresas como Puma, Adidas e Nike, contratos como do Chelsea, Liverpool e até clubes brasileiros e sul-americanos estão sendo rompidos e novos modelos estão sendo constantemente apresentados, uma verdadeira carnificina. Mas calma, tudo isso na verdade é uma grande brincadeira, alguns compulsivos brasileiros estão criando blogs com suas próprias marcas e criando seus próprios modelos para o time que lhes convierem, e não estou falando de um ou dois, estou falando de cinco, cada um com suas especialidades, seus detalhes, suas técnicas, seu ponto de vista. Vou agora apresentar para vocês essas novas multinacionais com o que eu achei de mais interessante.

Hekula: A marca que tem o maior número de contratos fechados é também a mais antiga a defrontar as grandes marcas, conta com uma grande grade de modelos e parece ter uma preferência pelo mercado americano principalmente o brasileiro aonde fechou contrato com a maioria dos times da primeira divisão e muitos outros não tão conhecidos, a marca também está ativa no mercado europeu, mas lá atua de forma mais discreta, pega times médios e pequenos de países as vezes sem muita tradição. No ramo de seleções só teve a ousadia de fechar com a Eslovênia. O criador da marca é o Henrique Portes e são diversos os modelos de forma que foi muito difícil achar um único destaque mas por fim acho que o destaque da Hekula Fantasy Trademark vai para a camisa num estilo muito clássico desenvolvido para a Lazio, vale, e muito, a visita, só clicar no nome da marca ali em cima.

LHD: A marca é a mais formal, teve apresentação de templantes e tudo, começou com um desenhista que desenvolvia modelos para marcas seja para clubes já com contrato ou propostas, mas infelizmente o mesmo foi demitido e teve que abrir seu próprio negócio, azar da concorrência que agora tem que lidar com um verdadeiro artista, detalhista e preciso a LHD fecha apenas contratos de impacto, apesar dos últimos contratos terem sido mais modestos, e não parece apresentar nenhuma foco de atuação, pega tanto seleções como Holanda, Angola e Arábia Saudita, como clubes brasileiros, Vasco, Juventude e Guaratinguetá e internacionais a exemplo de Genoa, Ajax e Carls Zeiss jena. O criador ainda não revelou o significado das siglas, mas definiu marca como a revolução dos uniformes. Destaque especial para a bela camisa de casa da Holanda.

Third: O criador é o que mais entra no espírito da brincadeira e sempre que anuncia uma camisa confessa que teve que desembolsar alguns milhões, também já conseguiu até quebrar a concorrente Hekula quando a quantia oferecida foi superior e a Lazio acabou mostrando seu segundo uniforme em um curto espaço de tempo. A marca é apostadora e pega times que estão em má fase. Não há nenhuma seleção e nem times do Brasil até o momento, melhor para o Hekula que pelo menos esse espaço não perde, mas como o próprio nome da marca sugere todos os clubes ganham terceiros uniformes sempre sem fugir muito da tradição. Outro destaque da marca é a fonte usada nos números, gostei de todas, cheias de personalidade. Só para não repetir eu vou ter que indicar como destaque a camisa do Mônaco, mas aconselho a espiarem as da Lazio.

Sparta: A marca ainda é pequena de contratos fechados, mas conseguiu fechar os mais incríveis contratos e não desperdiça dinheiro, fecha com os times para dar uma mudança geral na camisa. A marca só tem dois templantes, mas apesar disso abusa positivamente na hora do desenho utilizando os mais inusitados aspectos. A marca não tem símbolo, mas sabe como encaixar seu logo e os patrocínios. Sua tendência é entre mercado europeu e brasileiro, foram apresentados até agora 2 clubes ingleses, 2 brasileiros e um holandês. O destaque da marca criada pelo Thiago vai para a maravilhosa camisa de visitante do Atlético Paranaense.

X-Bird: A marca é a mais recente e também a com menos projetos, fechou apenas com o clube de maior torcida do Brasil o Flamengo. Além do lindo símbolo da marca pode se perceber também a dedicação e a criatividade, é verdade que todo mundo adora movimentar o desenho do Flamengo mas acho que não vi nenhum mais bonito que a terceira camisa apresentada pelo projetista. Os outros uniformes são bem desenvolvidos mas não fogem muito do que já vimos ser desenho oficialmente, ou não, para o Flamengo, é preciso que mais contratos sejam confirmados para se analisar melhor a marca promessa. Não vou nem me dar ao trabalho de falar quem é o destaque.

É isso, peço por favor que os artistas não desistam, se quiserem posso combinar com vocês alguma coisa, agente se reúne e cria uma proposta legal para acrescentar ao Compulsivos. Mas nunca desistam pois o mundo das camisas precisa de vocês e essa concorrência é, no mínimo, muito divertida.

Especial Oscar 0708

O Especial de Março vai ser um pouco diferente, uma proposta meio que inovadora que conta com a ajude de vocês espectadores. Vou organizar o Oscar das camisas temporada 0708, nessa primeira parte definirei os prêmios que vão ser distribuídos e com a ajuda de vocês espero os indicados para cada categoria, depois em Maio eu divulgo a primeira eliminatória onde todos os indicados por vocês e mais alguns que eu achar merecedores vão ser votados até sair os 3 finalistas de cada categoria, ai em Julho eu divulgo para quem que The Oscar goes.

Além dos indicados para cada categoria vocês podem também sugerir suas próprias categorias, mas não esqueçam que SÓ vale a temporada 0708 ou 2007 para os clubes que assim fazem seus uniformes, também estão excluídas as seleções. Espero a colaboração de vocês e segue as categorias que eu já pensei com uma mini explicação.

Patrocínio Revelação: Aquele patrocínio que apareceu para o mundo nessa temporada e encantou.

Melhor Templante: O Modelo que mais agradou, aquele que conseguiu deixar as camisas mais bonitas, ou que gerou maior diversificação, enfim o que mais agradou.

Melhor Camisa Clássica: Aquela camisa que nunca muda muito, mas mesmo assim consegue surpreender, a que tem o desenho inconfundível, mas é magnífica.

Melhor Camisa Inovadora: A inusitada, que não tem muito, ou nada relacionado com o clube, mas mesmo assim consegue chamar atenção e virar símbolo do clube mesmo que por uma temporada.

Melhor Camisa Dupla: A camisa que foi usada tanto na temporada 0607 como na 0708 que mais se destaca pela beleza.

Melhor Liga: A que foi abençoada com as camisas mais belas.

Melhor Patrocínio: O que faz o clube virar sinônimo dele e não ele do clube, aquele que consegue ser discreto e perfeito.

Melhor GK: A camisa de goleiro que mais encantou os olhares, a mais bizarra ou a mais criativa, enfim aquela que você sempre pensa “essa vai entrar para história”

Melhor Time: O que reuniu o mais belo conjunto de camisas casa, visitante e terceiro uniforme (se tiver).

Melhor Marca: A que tem os times com as camisas mais belas, aquela que nessa temporada conseguiu se superar.

E por último, Camisa da Temporada: A inconfundível.

Estudando também colocar os piores, como pior patrocínio e pior camisa, mas acho que esse não é o intuito do Oscar, dêem suas opiniões. Também estou pensando em pegar mais umas 4 ou 5 pessoas para ajudar na eleição final assim não dependendo apenas de mim e tornando a premiação mais justa. Então vocês tem até dia 22 de Maio para dar os primeiros indicados, e depois até 19 de Julho para votar nos indicados fazendo com que saiam os 3 melhores para a Academia escolher. Conto com a colaboração de todos os visitantes seja em 1 ou em todos os quesitos.

 

PS: No 13º Comentário tem uma lista sem os indicados para simplificar para vocês, copiem, colem e mandem suas opiniões