Archive for the ‘Objeto de Desejo’ Category

B. Mönchengladbach Hat-Trick II

A segunda camisa do Hat-Trick vai ser usada nessa temporada, apesar que o clube já usou algumas vezes no campeonato passado, é uma camisa feita pela Lotto que retoma um pouca a tradição do clube misturando novamente o verde ao preto e ao branco prevalecente.

A camisa, novamente, segue o templante da temporada passada, um péssimo costume que a Lotto parece ter com clubes alemães. A camisa é bem simples, mas muito elegante, toda branca com detalhes em preto e duas faixas paralelas e sem espaçamento na esquerda, uma preta e uma verde, lembra muito a camisa do Away do Grêmio feita pela Puma para essa temporada. O contraste das cores é lindo e sempre casa perfeitamente, o branco acabou proporcionando uma bela dose de simplicidade que deixa a camisa respirar e as faixas deram o toque de beleza, ficaram muito bem equilibradas, nesse caso a ausência de uma pequena faixa branca no meio foi uma boa escolha, pelo excesso de elementos adicionais na camisa a pequena faixa branca acabaria fazendo o conjunto das duas perder força e assim o verde principalmente iria sair prejudicado causando um desequilíbrio nas cores da camisa.

A gola da Lotto é visualmente interessante, mas conferindo ao vivo achei um desastre, é uma pólo não pólo, ela fica sempre alta e acaba saindo da camisa, e virando muito mais um elemento estranho do que um complemento de beleza para a camisa, entretanto o pequeno vezinho preto, simples e modesto, é perfeito, discreto ele não chama a atenção para si e ainda da um corte no branco, acompanhado da gola ficou especialmente bem composto, uma gola muito simples mas extremamente bem feita. A opção de fazer as barras das mangas brancas é algo que eu não posso julgar se ficou bonito ou não, é uma arte que acompanha a idéia da camisa, se o criador queria algo mais claro e clássico essa é a escolha certa, mas se ele queria algo mais moderno acompanhando a tendência sem dúvidas deveria ter escolhido o preto, eu sinceramente prefiro o preto, mas defendo muito a idéia do uso de duas cores, nesse caso uma verde e outra preta, mas também acho que as vezes é preciso fugir das tendências e simplificar, no final das contas a verdade é que não muda muita coisa.

O símbolo da Lotto como já citei no primeiro post do Hat-Trick é mais baixo que o tradicional,não gosto e já dei meus motivos, nesse caso ainda tem o problema do vermelho que tudo bem pode ter um pouco, mas no caso acaba se tornando mais presente que o verde e quebrando a simplicidade que estava tão harmoniosa, além disso o símbolo da Lotto acaba parecendo maior do que de fato é pois ele tem todo esse espaço para preencher, só não é o grande erro da camisa pois a Kyocera não perdeu a chance de fazer a tradição dos patrocinadores valer, e olha que a marca geralmente embeleza as camisas. O Kyocera nesse caso errou ao colocar a caixa preta, ao contrário da outra camisa esse deveria ter sido feito em branco cortando as listras e não acrescentando área a elas, outra possibilidade era apenas circular as letras como na camisa do Grêmio assim eles não perderiam esse contraste do branco no preto, só para completar a caixa acabou passando das listras deixando essa parte em especial horrível.

O símbolo da Lotto, assim como o do Borussia, ficou bem comportado e deu seu toque a camisa sem estragar, o formato do brasão do clube caiu perfeitamente com as faixas e fez uma lindíssima combinação, no final a camisa só não ficou maravilhosa pelo uso errado do patrocínio e o excesso detalhes pequenos, sim eles são bons, mas o uso excessivo acarreta em muita informação desnecessária, isso se deve aos patches das ligas, ao patrocínio da Kyocera e aos símbolos da Lotto nas mangas além do pequeno detalhe prateado nas faixas, caso o patrocínio fosse corrigido ainda assim seria necessário tirar  os quadrados vermelhos da Lotto para dar um ar bonito na camisa. A propósito acabei de lembrar de outra camisa que tem muitos aspectos em comum com essa, trata-se do Innsbruck da Áustria. Ontem eu mostrei o patrocínio em caixa preta dando quase certo, hoje ele atuando de forma errada mas nem tanto, amanhã eu vou mostrar o desastre que a Kyocera causou em uma camisa do Borussia.

Oscar – Arsenal da Inglaterra

O Arsenal é um dos clubes mais presentes no Oscar, o time só não concorre em três categorias, Patrocínio Revelação, Melhor Templante e Melhor camisa de Goleiro. Fora isso aparece muito bem na maioria das votações, inclusive na Camisa da Temporda onde se encontra como um dos favoritos. E é realmente essa camisa que eu vou mostrar, ela foi primeiramente apresentada no começo do blog, e depois foi feita uma reedição mais detalhada na Arsenal Week.

Arsenal Week VI

A camisa de hoje na verdade é uma reedição, além disso também é uma das mais bonitas camisas do Arsenal, se não a mais, e foi um pedido do Portes, enfim, não poderia ficar de fora da Arsenal Week. A camisa é a 3ª da atual temporada, que fez muito sucesso com grande parte dos colecionadores do Brasil e imagino do mundo também.

A marca que produz a camisa é a Nike, e a fizeram muito bem. O modelo adotado para a camisa é pouco diferente do que foi usado para a maioria dos clubes, tem nas mangas ao invés de um largo pedaço uma listra fina que circunda toda manga, na barra simplesmente extinguem o pequeno detalhe que é comum. Porém o mesmo não faz falta já que a camisa é impressionantemente bem composta. Suas cores são um grená escuro e cheio de personalidade com um preto beirando um azul extremamente escuro. A camisa passa uma idéia na qual a Inglaterra é muito bem encaixada, classe e realeza. A combinação de cores realmente beira a perfeição, sem dúvidas uma das melhores que eu já vi em uma camisa de futebol, mas melhor que a combinação somente a distribuição, duas cores tão únicas e belas só poderiam dividir o mesmo espaço caso nenhuma superasse a outra, e que melhor solução do que listras, ainda mais na horizontal. Já cansei de repetir, mas listras horizontais são provavelmente o jeito mais simples de deixar uma camisa extraordinária, ainda mais quando as listras são grossas a ponto de tornarem-se faixas, faixas que também são um item muito usado pelas camisas “clássicas”, e com razão, elas passam a informação de serem mais antigas, talvez porque no passado fosse mais difícil intercalar cores em grande quantidade, mas não posso afirmar nada concreto, é mais uma impressão do que uma certeza. De qualquer forma é fato que ficou ótimo e nesse ponto não há do que reclamar. Impressionante é que até nas mangas eles acertaram, verdade que os modelos Nike são os melhores para fazer camisas desse tipo, mas elas interagem da forma certa com as do tronco, estão quase perfeitamente desencontradas com as do tronco o que causa um maior e melhor contraste entre as cores porque não se torna uma constante e acaba se tendo uma variação muito bonita, tudo devido a combinação de cores. Porém um dos principais fatores que deixam todos esses elementos perfeitos passa muitas vezes despercebido. É a pequena faixa em grená que fica na barra da camisa fazendo papel de detalhe, a princípio ela parece uma falha, algo desnecessário e até um erro primário, mas fato é que é essa pequena barra quem realmente proporciona todo o contexto da camisa, ela mostra que há continuidade e evita 2 coisas, primeiro a idéia de que a camisa tem final, ela proporciona a ilusão de que há uma continuidade mesmo que agente não consiga ver e segundo mas não menos importante ela evita que o preto comece e termine a camisa dando assim uma vantagem visual para a cor. O dourado nas extremidades da gola e da manga além do patrocínio e do símbolo da Nike são lindos, fortalecem a idéia do real e dão o toque brilhante que uma camisa que tendia a escuridão precisava, além do mais está aplicado em uma proporção ótima, na qual consegue se destacar sem abusos ou excessos, para completar o patrocínio da Emirates é perfeito, simples, elegante e adaptado. A gola também não fica atrás, a melhor cola com colarinho dos últimos anos de todas as marcas, alta e bem estruturada também resgata a elegância que é encontrada por toda a camisa, o toque de dourado que dividi ela do resto, como já foi dito, é perfeito. A camisa é linda e realmente é difícil achar pontos que adaptados ajudariam as camisas, porém eles existem, um deles é o desproporcional e no caso cintilante escudo do Arsenal, apesar das cores combinarem ele não repete toda a proposta da camisa e acaba ficando fora de todo o contexto, uma solução além de diminuir alguns milímetros é transformar em monocromático dourado o que não é muito difícil já que é um símbolo sem muitos detalhes, a outra mudança que eu faria é no Fly Emirates, trazer ele um pouco mais para baixo dividindo ele corretamente entre as faixas, só o Fly no preto e só o Emirates no grená sem sequer tocar os limites como fazem o “E” o “i” e o “t” da última palavra citada. Mas isso são meros detalhes dentre uma série incomparável de acertos, essa camisa é um Objeto de Desejo e tanto e caso tenha a oportunidade de compra-la não pense duas vezes, garanto, é um erro.

Oscar – Köln da Alemanha

Apesar do Köln não estar propriamente concorrendo ao Oscar ele tem uma camisa muito interessante que merece ser citada, a camisa se encaixa em algumas categorias, entre elas: Melhor Templante, Melhor Marca, Melhor Liga e a que mais chama atenção, Melhor Patrocínio.

É uma camisa que eu adoraria ter em minha coleção, o desing dela torna ela linda e muito diferente da maioria das peças.

…Köln da Alemanha

O 1. Fussball Club Köln é um clube alemão fundado em 1948, ganhou até hoje 3 campeonatos nacionais e 4 copas da Alemanha. O clube teve sua grande época histórica dos anos 60 ate o início dos anos 80 aonde além de todos esses títulos o clube também conseguiu ser finalista da Taça UEFA e ganhar duas vezes o Troféu Joan Gamper considerados os únicos títulos internacionais do clube. Porém atualmente o clube amargura a 2ª divisão da Bundesliga. Curioso é que o time não joga a mesma divisão desde 97, num constante sobe e desce desde lá, assim as temporadas com final par é de 2ª divisão e as impares de 1ª. Esse ano não me parece ser diferente, o clube está na 4ª posição com uma partida a menos e caso vença fica na vice liderança.

O clube conta com um brasileiro no seu plantel, trata-se de André Oliveira que jogou no Santos na temporada passada após surgir pelo Ceará e ter uma rápida passagem pelo Iraty.

Mas falando de camisa: A camisa é feita pela Adidas e tem o padrão 1. Ela é bem interessante e suas cores são vermelho e branco, cores que também se referem ao clube. Mas o legal mesmo é o desenho final da camisa, não chega a ser um meio a meio mas a camisa tem claramente um ponto de divisão e, ao contrário do que tem se tornado mais comum, a divisão dela é vertical, me lembra muito a camisa do Benfica de 2001 também da Adidas. Uma das coisas que ficou estranha nessa história de divisão foi que sobraram duas pontas, isso na verdade se tornou uma exigência do desenho da camisa que possui essas pontas em 4 áreas, todas apontando para o meio. Outra coisa que eu mudaria também é o local do símbolo da Adidas, a camisa pela divisão parece que só começa a partir de onde tem branco e é exatamente onde o símbolo não está, caso ficasse ao lado do escudo do clube a camisa ganharia uma coerência simétrica maior e também mais vermelho, o que daria um toque especial nela, o patrocínio tenta fazer esse papel, mas a verdade é que além de precisar marcar presença na parte branca o vermelho precisa também dominar totalmente sua parte vista que é bem menor, por isso mudaria também a barra da manga, faria ela vermelha também. O Rewe é muito bonito, combina com a camisa perfeitamente e em todos os aspectos, cor, tamanho e formato. O vermelho, como eu já disse, precisa se impor pois não é predominante, o tamanho também entra nessa questão, não é nada exagerado, porém ocupa espaço o suficiente para fazer a diferença, na verdade ele não é bom somente para o vermelho, ele é bom para a camisa inteira, sem ele a camisa além de perder um elemento importante sofreria com o excesso de branco. A gola só completa a camisa, como sempre da muito estilo, mas acho que ela em vermelho não ficaria ruim, e também seguiria a minha idéia. Na verdade o grande problema do vermelho está nas listras, ocupam muito espaço, e não tem todo esse espaço para ser cedido. Mas de qualquer maneira a camisa é linda e impressiona não só pela particularidade mas também pela simplicidade e poucas cores usadas e mesmo assim com um resultado muito bom.

koln-0708-a.jpg

Oscar – Lens da França

O Lens é um time não muito conhecido da França, no Oscar ele concorre a quatro categorias, Melhor Templante e Melhor Marca com a Nike, Melhor Liga com a LFP Francesa e a que tem aparecido como forte concorrente, Camisa da Temporada. Segue o post que marcou a apresentação da camisa para o público.

…Lens da França

Lens é um clube francês que não tem muita tradição nem títulos. Seus únicos títulos importantes foram conquistados na década 90 e foram eles 1 Campeonato Francês e uma Copa da França. O clube foi fundado em 1906, porém ficou inativo durante a 1ª guerra mundial e voltou a disputar partidas apenas em 1924. Com a volta do clube a ativa as cores, até então não definidas oficialmente, foram trocadas pelo vermelho e dourado. O site do clube diz que os dirigentes e os jogadores quando estavam indo para uma reunião com a intenção de definir as cores passaram pela igreja de St. Leger em Lens, um deles anunciou que aquela era a última prova da passagem espanhola por aquelas terras, então resolveram adotar as cores da Espanha. Porém para ganhar um significado mais real relacionaram o vermelho como sendo o sangue dos mineiros que viveram lá e o dourado, que substituiu o amarelo, como sendo o ouro que vivia nos corações dos mineiros.

O clube vinha fazendo uma boa seqüência de campeonatos franceses, nas últimas 3 temporadas ficou 2 vezes muito próximo de uma classificação para a UEFA Champions League conquistando apenas uma vaga para a UEFA Cup. Porém esse ano após 19 partidas o clube está na zona de rebaixamento junto com o Sochaux e o Metz.

Como é a Nike quem faz as camisas a simplicidade é uma garantia na camisa, simplicidade que juntamente com as cores tornou a camisa uma das mais lindas não só da França, mas da Europa inteira. Vou mostrar para vocês o uniforme de casa dessa atual temporada e o de visitante da temporada passada.

O de casa dessa temporada é absurdamente linda. É uma listragem horizontal em amarelo e vermelho que no final das contas não prioriza nenhuma das cores. Na barra de baixo é possível ver que tem mais amarelo e na barra das mangas vermelho, o que mostra a mais perfeita e justa separação. É uma das poucas camisas listradas que passam esse efeito ao observador. Outros clubes deveriam tentar implantar já que o resultado é tão bom. A gola da camisa é algo também de outro mundo, alta e com a mesma separação perfeita do resto da camisa, ficou muito estilosa e combina perfeitamente com a camisa que, com as listras em horizontal, atingiu um nível de beleza acima do normal. Outra coisa na gola é o detalhe que ela tem, além de falsa aberta há uma costura especial que molda esse final fazendo um pentágono, parece pouco, mas ficou muito bonito quando visto de perto. Posso destacar também a proposta da manga de continuar o desenho em horizontal, é realmente muito difícil tomar essa decisão e, tanto para aquelas que tem a manga continua quanto para aquelas que não tem, é preciso atenção na hora de desenhar para deixar tudo discreto e em harmonia, nesse caso tudo ficou perfeito, e as cores por serem fortes conseguem harmonizar ainda mais. O símbolo da Nike em preto também foi muito bem pensado, ele em amarelo iria ser muito extravagante, assim como o símbolo do próprio clube ficou. Mas o que da o toque final para a camisa ser uma das mais bonitas da temporada é a ausência de patrocínio. Não tem nada para atrapalhar, não abre nenhuma caixa, e acima de tudo não afeta nas listras e na combinação de cores. Porém essa ausência não é real, o clube tem como patrocinador a Invicta, que entrou esse ano no lugar da LG. Essa camisa que eu encontrei é verdadeira porém vendida dessa forma como acontece com algumas aqui no Brasil também a exemplo da Kappa.

lens-0708-a.jpg

O uniforme de visitante não é tão bonito quanto o que apresentei a pouco, mas também é de fazer arregalar os olhos, com um estilo muito mais simples a cor que prevalece é o branco, o grande chamativo da camisa é obvio que é a listra em diagonal. O que diferencia e destaca ela das outras listras diagonais é o número de cores, geralmente é usada apenas uma cor, mas nesse caso são 2 que como estão separadas ainda fazem o efeito de 3, com tantas cores não seria possível colocar o tamanho “padrão” de uma listra diagonal. O fato dela ser maior ajuda a camisa a ficar mais robusta, evitando o vazio que acontece principalmente nas camisas com listras diagonais de cor semelhante com a da camisa em si, que seria o caso dessa. O vermelho toma conta de todos os detalhes, eu mudaria algumas coisas, cada barra de uma manga seria de uma cor, e daria preferência para o amarelo aonde o vermelho está mais próximo e vice-versa. Além disso também colocaria a gola de uma cor e o símbolo da Nike em outra. Mas são detalhes muito pequenos é que no final não afetam muito na beleza da camisa. O que já tinha na outra e se repete nessa como falha é o escudo do time, que eu não sei direito o porque mas não encaixou bem em nenhum dos 2 casos, e não é que ele é feio ou quadrado demais; talvez seja o seu corte no meio que não seguiu nenhum dos 2 padrões de listras apresentados nas 2 camisas.

lens-0607-b.jpg

Oscar – La Coruña da Espanha

A camisa do Deportivo La Coruña é mais uma das concorrentes do Oscar das Camisas 0708. O clube foi indicado para três categorias, em todas ele compete com a camisa Home, as categorias são, Melhor Templante com a Canterbury, Melhor Camisa Clássica e Melhor Patrocínio com a sua remodela Fadesa.

…Deportivo La Coruña da Espanha

O Deportivo foi fundado em 1906 e seu nome completo é Real Club Deportivo de La Coruña. O real foi acrescentado ao clube quando rei Afonso XIII aceitou a presidência de honra do clube.

O clube não tem uma tradição muito grande de títulos, mas há poucos anos obteve um continuo sucesso. Na temporada 9900 conquistou pela única vez o Campeonato Espanhol. Duas temporadas depois conquistou a Copa do Rei, e mais duas temporadas depois conseguiu o incrível feito de chegar a semifinal da Champions League perdendo para o Porto que se sagraria campeão da CL e posteriormente o último campeão mundial antes do mundial criado pela FIFA sobre o surpreendente Once Caldas. Atualmente o clube ocupa a 15ª colocação do Campeonato Espanhol e já foi eliminado da Copa do Rei.

O Deportivo adotou as suas cores e seu uniforme base em 1912 e então as mudanças se limitaram apenas no tamanho e quantidade de faixas que são alternadas em azul e branco sempre na vertical. Uma das camisas mais curiosas do clube foi feita na década de 90, mais precisamente em 91 quando as listras mudavam de sentido na parte superior tornando se horizontais, foi a primeira vez que o Deportivo usou faixas nesse sentido. O desenho inovador foi feito pela ROX e posteriormente copiado pela Umbro em 93.

Atualmente o clube é patrocinado pela desconhecida, e nova no mercado do futebol, Canterbury. Apesar de ser sua primeira temporada no futebol a Canterbury consegui acertar. A camisa de casa dessa temporada é muito bonita e consegue dar lição em grandes marcas. Ela segue o padrão histórico do clube e por isso é listrada em branco e azul. As listras estão num tamanho perfeito e o fato do branco estar no meio ajudou na beleza da camisa, além de ser dar para a camisa um tom mais claro fez com que o azul ficasse sendo a cor secundária e o dourado a 3ª. Isso faz com que o dourado consiga não ser tão extravagante, caso a maioria fosse azul o dourado seria muito distinto e chamaria muito mais a atenção deixando de ser apenas um belo detalhe para se tornar um desagradável adereço. Os detalhe em dourado que eu acabei de citar além de privilegiados pelas cores também ganham pontos pela dimensão e localização, não chegam a ser finas e conseguem dar a impressão de um elemento extra e não somente um risco para fazer volume, como a Nike fez. Já a localização é perfeita, as laterais inferiores ocupam o espaço mais carente das camisas em geral e junto com a moderação do tamanho ficou ótima. Já a dos ombros também ficou muito boa, não é tão necessário quanto a outra mas também tem uma dosagem controlada e deu um brilho a mais para a região. A gola que a marca fez é um pouco estranha, quanto chega na altura da faixa ela ganha muito mais volume, lembra o desenho da Diadora da temporada passada. Ela é muito grande de qualquer forma, mas caso sua cor fosse diferente da primária seria melhor. Apesar que especificamente esse modelo não tem muita solução, tanto o branco como o azul são cores que já foram muito usadas, o dourado está muito perto e acabaria emendando um no outro e uma 4ª cor é totalmente inviável, portanto, nas circunstâncias, a solução obtida foi a melhor. A única falha do modelo fica por parte da manga, as faixas brancas dela acabaram sendo engolidas pelo caimento final tornando elas irregulares, no sentido de não ter o mesmo tamanho do começo ao fim, e no aspecto visual isso é horrível. O símbolo da Canterbury em vermelho é outra coisa meio estranha, mas por outro lado é uma ótima sacada, ficou destacado sem exageros e ainda conseguiu evitar um excesso de azul na camisa, a princípio parece um erro, mas foi um belo acerto. Outro acerto foi no patrocínio, não sei se está em contrato ou como eles conseguiram fazer isso, mas reformaram o Fadesa (antigo Fadesa). Além da considerável diminuição no tamanho, eles também conseguiram reestilisar a letra e deixar tudo muito mais claro, quem ganhou nessa, além da camisa, é a própria Fadesa, um patrocínio claro e simples chama muito mais a atenção pois hoje em dia o excesso é comum e o simples não. O escudo do clube centralizado abaixo do símbolo da fornecedora ficou bem legal, de fato é a melhor solução para esse tipo de camisa, mas por outro lado já está muito comum, fazer num estilo da Le Coq com o símbolo da Canterbury no ombro e o escudo mais acima ficaria mais legal.

deportivo-la-coruna-0708-a.jpg