Archive for the ‘Outras Camisas’ Category

B. Mönchengladbach Hat-Trick III

A última camisa do Hat-Trick é o terceiro uniforme da temporada passada que será aproveitado nessa também. Também e feito pela Lotto e, incrivelmente, o seu templante estava de acordo com sua temporada (apesar que agora não está mais).

A camisa é azul celeste cor que não tem relação nenhuma com o clube, a primeira linha de detalhes é branca e a segunda preta, essas sim cores oficiais do clube, o templante usado é o que também foi usado nas camisas do Palermo, tem as linhas laterais na altura do ombro que caem por cima do peito em forma de seta, nesses foi aplicado o branco, deu uma combinação bem básica que me lembra do Treviso e, porque não, da Lazio também. A combinação dessas cores é bem bonita, mas nesse caso em especial acho que o tom de azul um pouco vivo demais acabou prejudicando a camisa, a combinação harmoniosa com o branco acabou ficando muito demarcada criando um leve conflito de espaço entre as cores, talvez a escolha do preto nesse caso com uma divisão clara de espaços fosse melhor pois não existiria esse conflito que acaba chamando muita atenção.

Os detalhes também aparecem na parte de baixo da camisa, local onde o branco também foi escolhido e o efeito foi o mesmo, entretanto há um detalhe interessante, uma risca preta seguindo a faixa que deveria dar um contraste interessante, mas não deu pois ambas as outras cores são muito mais claras. Essa faixa é um belo instrumento para adicionar cores, mas é preciso analisar o contexto antes de escolher, e nesse caso não tinha muita solução, conseguiram a menos pior. Os logos da Lotto, como já é tradicional, são os grandes contribuintes para quebrar a combinação de cores, no caso dessa camisa ficou ainda mais berrante pela diferença de cores e pelo fato delas não combinarem nada.

O símbolo da Lotto não ficou tão bom como nas outras camisas, mas também não é um grave problema, já o brasão do clube de forma impressionante não consegue ficar feio, muito pelo formato que não diverge com nenhum outro elemento da camisa, mas também é verdade que as cores básicas ajudam nessa composição. O patrocínio sim é caracterizado como grande erro, o bloco preto diverge tanto da cor primária como da secundária, além de cortar a camisa ao meio e acabar com qualquer chance de uma harmonia entre as cores. Mas pelo menos é possível ver que a combinação forte com o preto é bem mais bonita, eu só não entendo qual a necessidade de fazer isso, é tão mais simples aplicar somente o nome sem caixa, e esse ao contrário dos outros casos era bem possível, e pior não é uma questão que a Kyocera ou a Lotto não disponibiliza esse tipo, na camisa Away da temporada passada o clube desfilava com uma camisa verde-musgo onde o patrocínio também branco era aplicado direto sem caixa. Nada justifica essa escolha, fato é que a camisa faleceu no instante que a prensa quente aplicou o silk, e quem se perde com isso é a Lotto.

A gola também é bem feia, foram aplicadas duas cores diferentes da padrão da camisa, o vezinho ficou na parte externa da gola e a opção de colocar o branco predominante foi horrível, é até pecado comparar esse com o outro templante. A gola semi-pólo também me incomoda, solucionar esses erros é fácil, bastava pintar o resto da gola de preto dando um padrão menos chamativo e principalmente mais simples. A camisa não é uma idéia fantástica, mas tinha possibilidade de se tornar bonita, mas o resultado final foi uma infeliz combinação. Assim termino o segundo Hat-Trick do Compulsivos, espero que tenham gostado.

Há 10 Anos Atrás – Abril

Udinese da Itália

A camisa da Udinese foi a escolhida para ilustrar o Há 10 Anos Atrás de Abril. A camisa naquela temporada foi usada como terceiro uniforme e a cor usada é o incomum, para o clube, azul. Na época o clube era patrocinado pela marca dinamarquesa Hummel que tinha bem mais espaço do que nos tempos atuais, o modelo era bem simples como era tradicional na época, os detalhes eram mais focados em golas e apetrechos na parte superior da camisa principalmente nos ombros. No caso dessa camisa nem isso, a gola era bem simples e lembra muito a gola das camisas do começo dos anos 90, com um botão apenas e um colarinho baixo da segunda cor da camisa acompanhado de um detalhe. O tronco da camisa vem com outra característica que aparece no começo dos anos 90, a marca d’água. Como foi muito usado e não podia ser diferente o que aparece na marca é o distintivo do clube, praticamente qualquer símbolo fica muito interessante dessa forma, e não foi diferente com o clube italiano, ficou muito bonito, principalmente porque o distintivo é cheio de elementos e grande deu uma composição muito boa para a camisa, só acho que foram usados muitos, somente o do tronco deslocado era suficiente, uma pequena observação que eu não sei responder e achei curioso, alguns provavelmente vão até achar que prejudica o conjunto, e eu não discordo totalmente dessa opinião. Porque a marca d’água do símbolo que é a que mais aparece está de ponta cabeça? Muito estranho. Mas continuando, na manga é possível ver as famosas “setinhas”, símbolo maior da Hummel, muito mais bonita que as 3 listras da Adidas talvez por ser menos usada ou talvez por simplesmente ser mais bonita mesmo. Deu todo um estilo para a camisa que tem isso praticamente como único detalhe, interessante é o fato de ter sido usado apenas duas setas quando geralmente a Hummel aproveita toda a linha e vai da gola até as mangas usando um número bem maior. De qualquer modo ficou muito bonito, junto com a marca d’água formam um bom conjunto, só faltou um pouco de branco na parte inferior da camisa. Mas a camisa não tem apenas elementos do começo dos anos 90, o patrocínio mais bem desenhado, com curvas saindo um pouco mais da camisa era bem atual na época, entretanto ele era horroroso, conseguiu cobrir e conseqüentemente destruir um dos principais elementos, além disso o amarelo excessivo e o desenho acabam por atrapalhar a camisa, o primeiro se usado moderadamente poderia até se harmonizar com o resto da camisa, já o segundo é mais difícil, teria que diminuir radicalmente seu tamanho, atrapalhando assim o nome da empresa. Uma solução que muito me agrada para esse artifício bizarro seria o simples uso do nome da empresa em azul com uma borda branca, cobriria a marca d’água verdade, mas nesse caso isso já é inevitável. Outra coisa ruim que também foi muito usada no final dos anos 90 é essa união de elementos na parte superior da camisa, patrocínio bem para cima e brasão do clube e símbolo da fornecedora esportiva apertados e muitas vezes deslocados para os lados tirando a tradicional e muito bela simetria entre esses elementos no peito da camisa. Enfim, é uma camisa muito bonita, mas que ficou um pouco atrasada no tempo, e isso fica evidenciado quando comparamos ela com as camisas da época e de mais alguns anos atrás. Talvez esse seja o motivo da Hummel ter perdido espaço no mundo das camisas.

Arsenal Week VII

Chegamos ao fim da Arsenal Week, e novamente vou falar de uma terceira camisa, essa abrigava minha coleção pessoal de fotos, a temporada em que foi usada é a 9900 e a camisa foi utilizada, se não me engano, somente na Champions League daquele ano quando o clube foi eliminado ainda na fase de grupos por Barcelona e Fiorentina.

O clube na época já tinha 6 temporadas com a Nike e apesar de não conhecer muito os modelos daquele ano imagino ser algo bem exclusivo. Como já é de costume com a marca, não se visualizam muitos detalhes, porém parte disso é explicado pelo fato de já se fazer algumas temporadas desde a criação dessa camisa, o que se visualiza nela além do desenho são as faixas nas mangas e uma gola bem diferente. As cores que são usadas na camisa são as mesmas da 1ª camisa apresentada essa semana, azul, amarelo e vermelho, só que por ser uma camisa com mais tempo de vida os tons apresentados são um tanto quanto mais escuros e mortos. Dentre as 3 cores a que mais aparece na camisa é o azul seguido do amarelo e do vermelho que se limita a detalhes específicos O desenho da camisa é bastante curioso, trás uma faixa amarela no meio seguida de outras duas pequenas faixas que se estendem por entre as mangas, é bastante curioso e apesar de não achar uma obra de arte também não posso chamar de feio, a prolongação até as mangas também não são bonitas ou espetaculares, há como melhora-las, mas não acho apesar disso não são feias e combina com a camisa que tem diversos elementos estranhos. A grossura das faixas foi bem montada, 3 faixas de tamanho igual nesse tamanho seria um exagero e ficaria visualmente muito ruim e grande, além do mais faria uma alusão a concorrente Adidas, novamente acho que não é o mais bonito, talvez finíssimas listras e uma faixa central menor proporcionariam um melhor resultado. Curiosamente nesse modelo não há patrocínio, na época o clube tinha nesse papel a Dreamcast, o que é bom para uma camisa com tantas coisas espalhadas, no final ele apensa iria cortar a faixa e deixar um vazio grosseiro na camisa. As barras da manga eram feitas em um tecido diferente para ficar mais presa ao braço do jogador, por isso tem esse tom de azul bem mais escuro que beira o preto, o que não me parece uma má idéia, já que a camisa tem tantos pontos diferentes a aplicação de uma cor diferente e que não tem nenhum sentido ficaria bem curiosa, o contraste seria interessante, ficaria parecendo uma camisa em cima da outra sendo que de uma aparece apenas gola e barras da manga, bizarro concordo, mas interessante. Voltando para a manga, o vermelho aparece somente no final demarcando o perímetro final da camisa, simples e bonito, de fato não é o melhor contraste que existe para um azul com tanto amarelo, mas, como tudo na camisa, é interessante. O mesmo se repete na gola que eu particularmente amei, o desenho dela com colarinho baixo e esse pedaço de tecido diferente é fantástico, da volume para a gola, deixa ela imponente e com personalidade, o formato desse pedaço de tecido diferente, com um desenho que começa arredondado e termina com traços rígidos, é quem promove toda a beleza, os detalhes em vermelho conseguem dar o destaque necessário para ela e os locais onde foi aplicado ficaram perfeitos. O brasão do clube está colocado de forma correta e contrasta perfeitamente com a camisa, porém o mesmo não acontece com o símbolo da Nike, além de mais abaixo do que o seu comparativo, o distintivo do Arsenal, ele tem uma borda vermelha no mínimo ridícula, ela praticamente some e serve apenas para poluir a camisa.

 

Bom é isso, espero que a Arsenal “Fashion” Week como alguns de vocês falaram tenha agrado e podem esperar que muitos outros clubes ainda vão ter o, talvez, privilégio de ter sua própria semana aqui no Compulsivos F.C..

…Nova Zelândia

Já falei da camisa de visitante da Nova Zelândia no começo do ano, e como já havia dito lá é uma camisa muito fácil de se descrever. Porém dessa vez vou falar da camisa de casa da temporada que passou, é fato que as camisas ainda não saíram, e por isso não posso falar que ela é velha, mas como as da Austrália já foram lançadas  não deve demorar muito. Ela é produzida pela Nike e não segue nenhum padrão de seleção, na verdade o seu modelo é muito mais parecido com o de clubes do que o de seleções, mas no fundo como tratamos de Nike não faz muita diferença. Eles são chamados de All Whites, talvez uma comparação com o All Blacks que é como é conhecida a seleção de Rugby do país. O apelido vem do uniforme mesmo, que é todo branco. Só há 2 pontos em que o branco não ocupa, um deles é o final da manga que tem a cor dourada, igual a usada no uniforme de visitante, e outro é o símbolo da Nike e o escudo da federação que nesse caso estão em preto, não há outras cores nem na gola e nem na barra da camisa pontos que geralmente a Nike utiliza para amenizar a falta de cores em suas camisas. Porém mesmo sendo extremamente simples a camisa é muito elegante e já levantei essa questão no outro post. Hoje em dia acho que toda essa elegância é mesmo proveniente da simplicidade e do lindíssimo escudo da federação neozelandesa de futebol que sem dúvidas e um dos mais, se não o mais, bonito símbolo de seleções de futebol, a inscrição abaixo da folha é muito bonita e deixa a camisa especial só com esse detalhe, mas isso combinado com a folha realmente é impecável, um completa o outro perfeitamente e também pode ser encaixado com qualquer cor que basta uma adaptação de cor que fica tudo lindo novamente, é um dos poucos que faz frente ao maravilhoso símbolo da Holanda, que tem praticamente o mesmo estilo. Mas mesmo a camisa sendo tudo isso acho que algumas melhorias poderiam ser feitas, a primeira e principal seria entrar no clima do nome e literalmente excluir todos os detalhes em outras cores e passar tudo para o branco. Obviamente isso não inclui o preto que é usado nos símbolos da fornecedora esportiva, da federação e no nome e número do jogador. Com a camisa toda branca a elegância só aumentaria e o mais importante, nada chamaria mais atenção do que isso. Outra mudança seria colocar uma gola pólo nela, totalmente branca também, ficaria bem parecida com a camisa da Holanda só que numa versão branca, mas talvez essa simplicidade seja mais bela que a tentativa de deixar totalmente sofisticada, não da para ter certeza só com a imaginação.

nova-zelandia-0607-a.jpg

…Rangers da Escócia

O Marcelo autor do blog Loucos Por Shorts, um dos meus primeiros parceiros, fez um post muito legal sobre shorts da Adidas que tinham suas listras na horizontal ao invés da vertical. Fato é que isso me despertou a vontade de falar da mesma coisa, só que em camisas, o modelo que eu mais gosto desses foi usado na temporada 9495 e na seguinte pelo tradicional clube escocês Glasgow Rangers.

Ela é a camisa de casa e, por isso, tem o azul como sua primeira cor, assim como é feito desde a fundação do clube em 1873. O branco entra como segunda cor em mínimos detalhes e nesse caso há a ausência de vermelho, cor que geralmente o clube usa como terceira. A camisa segue a idéia que foi martelada na época em que foi feita, ou seja desenhos totalmente inovadores com marcas d’água estilosas e as vezes, ou muitas vezes, exageradas. No caso dessa camisa isso se repete, ela é inteiramente marcada com o símbolo do clube em diversos tamanhos. Mas mesmo assim seguem um padrão, sempre inclinados no mesmo nível acabam proporcionando uma beleza ímpar pois não deixa a camisa com um formato obvio e sem graça, a existência de vários tamanhos diferentes também colaboram para esse efeito assim como o fato de um brasão em específico não ser preenchido por dentro criando assim mais diversidade e, conseqüentemente, beleza. Os detalhes em branco são bem divididos pela camisa, apesar de serem os mais comuns e simples possíveis, o curioso e diferente fica mesmo por conta das listras em horizontal ao invés das tradicionais listras correntes do ombro a manga, o resultado foi ótimo, não só pela variação do comum que sempre é boa, mas visualmente criou um elemento exclusivo da manga que não necessariamente se liga ao tronco da camisa, também foi positivo pelo fato de não sobrepor as marcas d’água que ficam na altura do ombro e por fim, elas são, se não mais, igualmente estilosas as listras dos ombros. também ganharam a cor branca a inscrição Adidas na gola, o patrocínio e o brasão do clube, o último ficou bonito pelo seu formato, meio ao estilo do Flamengo e Fluminense com a sobreposição das iniciais do clube, o segundo ficou lindo pois simplesmente encaixou com a camisa, a letra, o formato, tamanho, enfim tudo acabou se encontrando entre patrocínio e camisa, e o símbolo da Adidas ficou ótimo pela localização e pela forma que foi aplicada, qualquer um dos dois símbolos que a Adidas tem não seria suficiente para preencher o local e escrever por extenso foi sem dúvidas a melhor solução. A gola também é um ponto positivo, ganhou bastante pelo Adidas, mas ela por si só também é linda, ela emenda diretamente na camisa sem nenhum tipo de corte especial e acabou virando um tipo de gola olímpica menor, porém mais bonita, venceu pela simplicidade e criatividade. No final das contas a camisa é linda principalmente pelo modo que tudo foi encaixado, o tom de azul escuro e penetrante ficou muito bom ocupando bastante espaço e não faltou nada em detalhes, nem na parte inferior onde as marcas d’água conseguiram marcar presença. Pode não ser uma das mais criativas da época onde mentes férteis extravasaram, mas sem dúvidas é uma das mais bonitas.

rangers-9596-a.jpg